Hipermetropia

Hipermetropia

A hipermetropia nem sempre se manifesta da mesma forma, isto é, depende muito do quão alta é a graduação, da capacidade do sistema visual de cada um aguentar o esforço feito pelo olho na presença da mesma e da idade. Ou seja, teoricamente um hipermetrope vê mal ao perto, mas se estivermos a falar de uma graduação baixa num individuo jovem, os sintomas podem ser apenas visão cansada e dores de cabeça ao realizar tarefas de perto, enquanto se tratar de um individuo mais velho, poderá manifestar-se com dificuldade de focagem de objetos próximos. Por isso, cada caso deve ser avaliado de forma individual. 

 

Causas da hipermetropia

Tal como em outros erros refrativos, a hereditariedade é a causa mais comum de hipermetropia. Fisicamente, a hipermetropia é causada pela dimensão do globo ocular, que é mais curto do que o habitual, ou pelo facto de a córnea ser menos arredondada que o normal. 

 

Sintomas de hipermetropia

Alguns dos sintomas são:

  • Dificuldade a focar ao perto;
  • Dores de cabeça;
  • Fadiga ocular;
  • Maior cansaço no final do dia;
  • Dificuldade na concentração em tarefas como leitura;
  • Mau aproveitamento escolas, em casos de crianças com alto grau de hipermetropia.

 

Correção da hipermetropia

A hipermetropia pode ser corrigida com lentes positivas, sob a forma de óculos graduados e/ou lentes de contacto, e através de cirurgia refrativa.  

 

Diferença entre presbiopia e hipermetropia

Sendo dois problemas de visão de perto, se já conhecia a presbiopia é normal que se questione qual é a diferença entre os dois. 

O principal fator diferenciador das duas condições é a idade, uma vez que a presbiopia é mais comum a partir dos 40 anos e deriva de alterações físicas no olho que vão agravando com a idade, nomeadamente a perda de flexibilidade do cristalino, a lente natural do olho cuja convergência se altera consoante a necessidade de ver ao perto ou ao longe. 

 

Hipermetropia e estrabismo

No caso das crianças, devido ao seu elevado poder de acomodação, a hipermetropia pode não ser aparente. Contudo, nos casos em que ela evolui para graus mais elevados, pode culminar em estrabismo acomodativo (estrabismo corrigido em simultâneo com a correção da hipermetropia).

Hipermetropia e astigmatismo

A hipermetropia pode desenvolver-se em conjunto com outro erro refrativo, o astigmatismo. 

O astigmatismo ocorre quando a imagem é focada não num, mas em vários pontos da retina, distorcendo a imagem tanto para a visão de perto, como para a de longe, por isso uma pessoa que tenha, por isso uma pessoa que tenha os dois erros refrativos pode também ter dificuldade a ver ao longe. 

 

O diagnostico precoce é a chave

Qualquer que seja o seu problema visual, quanto mais cedo for diagnosticado, mais cedo é compensado e a probabilidade de evoluir para um caso mais grave reduz drasticamente. Isto é de vital importância tanto em crianças como em adultos.

Na Central Ópticas, contamos com especialistas em saúde visual, preparados para avaliar o estado da sua visão e para prescrever a correção ou aconselhar o procedimento adequado ao seu caso. E fazemo-lo de forma gratuita, porque a sua saúde é a nossa prioridade. Marque o exame de visão numa das nossas lojas.